Início » Renato Russo

“Cafona, mas bonita”: O dia em que Renato Russo regravou Menudos


[20 Aug 2008 | 8 comentários | Cler Oliveira]

Embora tivesse muita coisa interessante acontecendo no mundo da música (principalmente envolvendo as músicas vazadas do novo álbum do U2) não era minha intenção escrever nada hoje. Mas a polêmica Renato Russo: o emo dos emos “ que surgiu a partir da entrevista do Tavares da Fresno a este blog foi tão grande, mas tão grande que fui obrigada a lembrar algumas coisinhas:

Muito antes de qualquer estúdio Coca-cola, grandes artista já transitavam por diversos gêneros musicais. E fazem isso até hoje, independente de fazer parte da série ou não. Desde o tempo em que Fábio Jr fazia participações em clipes do Balão Mágico, artistas de verdade largaram o pré-conceito em nome de um bom trabalho.

Renato Russo se encaixava nessa estirpe de grande artista. O cara foi um dos gênios do nosso século. E, mesmo os gênios, conseguem reconhecer boas canções, independentes de qualquer pré-conceito-picuinhas. Um exemplo? A maravilhosa Hoje a noite não tem luar. Estão lembrados?

Quem, em sã consciência iria pensar que Renato Russo iria regravar Menudos? Aquela música que, nas próprias palavras de Renato era “cafona, mas é bonita”?


Renato Russo: gênio sem pré-conceitos

Agora… imagine a cena:

Se um dos Menudos desse uma entrevista a este blog, após a morte de Renato e dissesse:

“tenho certeza que Renato Russo regravaria uma canção da gente!”

Pronto! Ele estaria decretando o fim do mundo!

Por que, se Renato Russo estivesse vivo não poderia regravar uma música do Nx Zero, da Pitty ou mesmo da Fresno? Nos comentários surgiu um, do Diogo, muito interessante:

Na verdade o emo começou como um movimento verdadeiro. Só que chegou aqui no Brasil tão intensamente (e tão atrasado) que foi abraçado demais pela mídia. Logo apareceram milhões de bandas querendo copiar, natural. Assim como até hoje existem milhões que tentam copiar o Jota Quest. Existe emo de alta e baixa qualidade (claro que é um conceito relativo, enfim). O próprio Fresno tem boas músicas no cd, mais elaboradas. Porque não são “de trabalho” já são outros quinhentos.

Agora, que mal teria se Renato Russo fosse considerado um emo? Atitudes Emotional e Hardcore? Não era isso que ele sempre apresentou? Nada mais rebelde do que cantar Menudo no Acústico MTV e fazer isso de maneira respeitosa e significativamente inesquecível. Renato Russo eternamente!

 

#MUDAROCK: Você pode plantar uma árvore, da sua casa, em menos de 30s. Então, por que não faz?
Post em Audio - Para o audiopost (mesmo post, porém por voz, clique aqui) Antes de ler o texto, saiba que são as últimas horas para baixar "à Beira do Caminho" ...
Leia mais
Free Download #22: Fresno – EP Cemitério das Boas Intenções
E os rapazes da Fresno decidiram dar um presentaço de final de ano para os fãs: um EP contendo quato músicas totalmente for free, no Facebook da banda para ouvir, ...
Leia mais
Projeto MudaRock: Nunca foi tão legal preservar o meio ambiente
Todo mundo acha importante preservar o meio ambiente. Alguns participam da luta ativamente, outros apoiam na passividade mas, de uma coisa ninguém discorda: é preciso unir as pequenas a grandes ...
Leia mais
Cedo demais: 15 anos sem Renato Russo
Nao lembro quando ouvi Legião Urbana pela primeira vez, deveria ter uns dez anos, lá por 1985, 1986... mas lembro da última. Ontem. E é incrível como músicas feitas há ...
Leia mais
Agora ninguém mais segura: College Rock Tour em Novo Hamburgo
Como diríamos aqui no Sul, os caras se puxaram. Foram 28 edições do College Rock, show que reúne os principais nomes do Novo Rock Brasil. Não raras as vezes com ...
Leia mais
Nos 25 anos de “Eduardo e Mônica”, Vivo cria videoclipe que conta a história do casal
Essa eu curti: A O2 Filmes, mesma produtora de Cidade de Deus, sob a direção de Nando Olival, é a responsávela pelo curta metragem que conta - de forma literal ...
Leia mais
[Fica a Dica] Palhetas autografadas da Fresno e Pré-venda do livro (autografado) de Humberto Gessinger, Mapas do Acaso
Duas dicas bacanas garimpadas nas internets: Palhetas autografadas da Fresno Para quem quer um souvenir de responsa da Fresno, a Nathalia Grun, do Nathy.com.br, está sorteando, entre os seguidores do Twitter um ...
Leia mais
Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá juntos na homenagem aos 50 anos de Renato Russo
“A Legião está ai... como diria Renato, a Legião são vocês, é o publico, são as pessoas, a gente está aqui só passando as coisas adiante” (Dado Villa Lobos) Na madrugada ...
Leia mais
Lembra que o plano era ficarmos bem… Os 50 anos do maior poeta do Rock Brasil: Renato Russo
"Eu sou o Renato Russo. Eu escrevo as letras, eu canto. Nasci no dia 27 de março, eu tenho 26 anos. Sou Áries e ascendente em Peixes. Eu trabalhava com ...
Leia mais
College Rock: A noite em que Porto Alegre reverenciou Esteban
Foto: Carol Basegio Elton Freitas, 18, saiu da cidade de Pelotas de madrugada. Pegou duas caronas com desconhecidos e caminhou quilômetros ao chegar na cidade de Porto Alegre. Tudo para estar ...
Leia mais
#MUDAROCK: Você pode plantar uma árvore, da sua
Free Download #22: Fresno – EP Cemitério das
Projeto MudaRock: Nunca foi tão legal preservar o
Cedo demais: 15 anos sem Renato Russo
Agora ninguém mais segura: College Rock Tour em
Nos 25 anos de “Eduardo e Mônica”, Vivo
[Fica a Dica] Palhetas autografadas da Fresno e
Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá juntos na
Lembra que o plano era ficarmos bem… Os
College Rock: A noite em que Porto Alegre

Related Posts with Thumbnails

Share on Tumblr

Cler Oliveira

Cler Oliveira, jornalista, gaúcha, apaixonada por música, sobretudo U2, Bon Jovi e Coldplay. Estudiosa constante de Kurt Cobain. Curte pop rock internacional dos anos 80, 90 e tudo o que agrade os ouvidos depois dos anos 2000. Também redatora no www.mudarock.com.br.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookGoogle PlusYouTube

  • http://hitnarede.com Cler Oliveira

    Eric » clap, clap, clap! Aplaudindo de pé!

    Responda este comentário

  • http://www.cegossurdoseloucos.com Eric

    Se as pessoas fossem um pouco menos burras e interpretassem as declarações de maneira mais abrangente, saberiam que emo é abreviação de EMOTIONAL e praticamente todos os idiotas que praguejaram no post anterior, se EMOcionaram com as músicas da Legião (ou até mesmo aquela viadagem solo que ele fez à beira da morte).

    Mas as pessoas sempre caem no mesmo ciclo vicioso que eu costumo chamar de modinha de odiar modinha.

    Pelo menos não foi de todo ruim, levantou um belo debate.

    Responda este comentário

  • Anselmo

    Concordo com o Douglas e o Piero, primeiro: o Renato perguntou se ñ estava gravando, então nota-se que ele ñ queria gravar a música do Menudo, mas realmente é “bonitinha”, segundo: o fato de uma pessoa cantar uma música ñ quer dizer que ele siga o estílo da mesma, senão o Roberto Carlos seria funkeiro.
    O fato é que, o Renato poderia sim cantar uma música no estílo Emo, mas com certeza ñ seguiria a sua moda. Mas continuo dizendo que ñ tenho preconceito.

    Responda este comentário

  • http://piero.jor.br Piero

    Cara, eu não gosto de música emo por, além de ter um tom depressivo, não varia de temática. Sempre envolve uma filosofia barata em cima de um relacionamento mal-sucedido. Por isso prefiro música sertaneja, que ao menos proporciona pérolas linguísticas como “Traz uma loira gelada que a minha morena me abandonou”.

    Não creio que Renato Russo seja emo. Mas nada impediria ele de pegar uma música dessas bandinhas e fazer a sua versão. Ia ser o mesmo esquema do Roberto Carlos: funk é uma merda, mas ele cantou com o MC Serginho “Se ela dança eu danço”. E aí? Roberto Carlos é funkeiro agora? Não é bem assim. Cada um no seu quadrado.

    Ah, Cler, preciso mencionar quem foi o responsável pelo primeiro “Estúdio Coca-Cola Zero” EVER? Uma pista: antes de alguém fazer qualquer coisa, ele já havia feito. (lol, isso merece um post!)

    Responda este comentário

  • http://dneves.blogspot.com/ Douglas Neves

    Gostaria de lembrar que o Renato Russo não regravou essa música. No momento do acústico MTV, enquanto o Dado sai para afinar o violão, o Renato Russo brinca com a platéia e diz que devia tocar músicas do Elvis, e diz “eu ia até tocar uma do Menudo”. O pessoal dá risada, então ele dia “não tá gravando né?”, e depois toca essa música. Essa música não era para ir para o disco, a decisão foi tomada depois.
    Mas eu concordo: é cafona, mas é bonitinha.

    Mas enfim. Como eu já disse, o movimento emo foi criado para vender CDs para o pessoal menor de 18 anos. Dizer que Renato Russo ou Kurt Cobain seriam emos só por que eles eram pessoas depressivas não é verdade. Com uma análise melhor vocês vão perceber que estes artistas não se juntariam a um modismo vendido, uma fábrica de dinheiro e de sentimentos falsos.

    Dizer que ele seria Emo é o mesmo que dizer que ele se juntaria aos Menudos ou que ele formaria uma Boy-band, já que “as boy-bands fazem música de amor, e o Renato também fazia”.

    Não sou preconceituoso, só estou dando minha opinião sobre a sua opinião.

    E aliais, a palavra “preconceito” existe, pode usar, não precisa dizer “pré-conceito”.

    Responda este comentário

  • Jackeline

    È COMPLETAMENTE CERTO….
    Agora cade as pessoinhas que estavão criticando pra comentar aqui?

    haha….

    Renato era muito Similar a FresnO….Pelas suas Letras…e o ritimo de Renato era até mais lento…

    Nunca foi preconceituoso…então porque os que o defendem não oH imitam…

    Responda este comentário

  • http://hitnarede.com Cler Oliveira

    Ana » Se este post tivesse um título antes do título seria “E lá vamos nós: descendo as cataratas de barril”. Na verdade tentei desenhar o que o post anterior para aqueles que não entenderam. E discussão por discussão…já estamos acostumadas a “mimimi” :)

    Responda este comentário

  • http://www.olhometro.com Ana

    Arrematou master bem. Óbvio que fãs chatos nunca darão a discussão por encerrada, não vão entender de novo e você vai receber xingamentos decorrentes do texto até tipo 2020. Mas sua tentativa gerou uma bela continuação do anterior! =)

    Responda este comentário

- web5 - ww8