Home » Clipes

Música para quem não a ouve mas a sente: três videos em Língua de Sinais

5 February 2009 15 Comments
24 Flares Twitter 2 Facebook 19 Google+ 3 24 Flares ×

A perfeita união entre o som e o silêncio: Três momentos de canções interpretadas com o apoio de Língua dos Sinais.

canções interpretadas com o apoio de Lingua dos Sinais

Quando eu tinha sete anos, dentre as minhas amigas, havia uma menina surda. Muitas crianças não gostavam de brincar com ela porque não a entendia. Era compreensível. Eu, pelo contrário, tinha com um acordo com a menina:

…me ensine sua lingua e serei sua amiga.

E assim foi. Isabel, lembro até hoje, foi responsável por momentos inesquecíveis da minha infância. Quando todos viram que ela não era nenhum ser de outro planeta, toda molecada da rua começou a brincar com ela. Em poucos meses eu e minha família mudamos de cidade e nunca mais tive notícias da menina.

Meu fascínio por Libras

Tenho certeza que aquela garotinha de olhos expressivos e sorriso triste me deu muito mais do que momentos para se lembrar. Sempre quis ser intérprete de Lingua Brasileira dos Sinais (Libras) por achar que o direito de compreender e ser compreendido é de todos. Fiz Libras por dois anos e leio tudo o que cai nas minhas mãos sobre Cultura Surda.

Apaixonada por música e pela cultura surda, percebo que raras são as bandas que reconhecem a possibilidade de levar sua arte para quem não ouve, mas consegue sentir. É um desperdício bandas como U2, Pink Floyd que, no palco, tem um apelo visual forte não desenvolver nenhum tipo de forma criativa para atender a comunidade que, sabe sim o que é música e reconhece os grandes ícones inseridos nela.

Pois, diante disso, selecionei três momentos lindos de canções traduzidas em Lingua de Sinais. Aliás, fica o registro de que, há algum tempo atrás, rolava uma campanha para que os filmes brasileiros tivessem uma sessão legendada para que as pessoas surdas pudessem assistir as produções feitas em seu próprio país.

Campanha Legenda Nacional - Legenda para quem não ouve mas se emociona

Pelo jeito, com o perdão do trocadilho, poucos deram ouvido. Eu tenho, com muito orgulho, uma camiseta desta campanha, desde 2007.

Embora a Lingua Brasileira de Sinais tenha sido, oficialmente reconhecida no país em 2002 durante o governo Fernando Henrique Cardoso, ainda há um longo caminho a trilhar. Leis que realmente valorizem a comunidade surda. Que obriguem que cada órgão público tenha pelo menos UM FUNCIONARIO que possa atender em Libras. Que exijam dos cinemas, sessões com acessibilidade para quem não ouve. Que tenha programas de TV com traduções em Libras. E quando falo programas de TV não incluo aquela pasmaceira que fazem no horário político gratuito que, só lembra que existem surdos no país em época de eleição e, mesmo assim, com traduções impossíveis de serem compreendidas devido à fonte pequena e a rapidez com que as informações são passadas.

(veja que porcaria de legenda*. Incompreensível)

Beatiful Boy

Mr. Holland ou Adorável Professor é um dos filmes mais lindos e óbvios que eu já vi. Conta a história de um professor de música que é pai pela primeira vez e, para sua surpresa, o filho, Cole, nasce surdo. O conflito entre a música na sua vida e o mundo silencioso do filho faz com que ele não aceite a situação, até ter a consciência de que poderia conciliar os dois lados da vida.

Uma dos melhores diálogos do filme é o momento em que Cole vê que seu pai está triste. O dia é 8 de dezembro de 1980. Sem dar muita importância ao questionamento do filho ele apenas diz que o filho não entenderia.

Cole (sinalizando em ASL – lingua dos sinais americana – e sendo traduzido pela mãe): Por que você assume que a morte de John Lennon significaria nada para mim? Acha que sou estúpido? Eu sei quem é John Lennon.

Mr. Holland (olhando para a esposa): Eu nunca disse que ele …

Cole: Eu não consigo ler seus lábios se você não olha para mim.

Mr. Holland (olhando para Cole): Eu nunca disse que você era estúpido

Cole: Você deve pensar dessa forma. Se você pensa que eu não sei quem são os Beatles ou – enfim – qualquer música. Você pensa que eu não me importo com o que você faz ou com o que você ama? Você é meu pai. EU SEI O QUE É MUSICA! Você poderia me ajudar a conhecer melhor, mas não. Você se importa mais em ensinar as outras pessoas do que eu.

O auge do filme , na minha opinião, é quando, por meio de ASL (a Língua de Sinais Americana), o professor interpreta Beutiful Boy, clássico de John Lennon. Unindo silêncio à música.

Problema de Expressão – Clã

Dia desses, descobri no blog da Fernandinha Takai, uma banda portuguesa chamada Clã. Uns dois cliques no Youtube, encontrei o clipe “problema de expressão”, com algumas frases em Língua de Sinais.

A principio todo o clipe era para ser traduzido na Língua de Sinais, mas a produção optou por usar apenas nos trechos onde a letra fala em dificuldades de comunicação.

Given to Fly

escrevi um post sobre esse momento magnífico do Pearl Jam, mas vale a pena escrever sobre isto de novo. Durante a canção Given to Fly, Eddie Vedder é acompanhado por uma intérprete de ASL para a pequena platéia surda localizada na sua frente. A turnê faz parte da turnê de 2000.

Lindo

Algumas considerações

* O vídeo indicado apenas ilustra um dos ínumeros casos de legendas inadequadas para o eleitor surdo. Não indica nenhum vínculo político ou preferência partidária.

Cabe informar que o termo surdo-mudo é usado, na maioria das vezes erroneamente. Na maioria das vezes, quem é surdo não é mudo. Apenas não fala por nunca ter escutado o som das palavras.

O termo “surdo” não é pejorativo. Muitos preferem esse termo do que ‘deficiente auditivo’. Ambos estão corretos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Cler Oliveira (908 Posts)

Cler Oliveira, jornalista, gaúcha, apaixonada por música. Curte pop rock internacional dos anos 80, 90 e tudo o que agrade os ouvidos depois dos anos 2000.


15 Comments »

  • José said:

    Eu gostei do post

    Mas gostaria de resaltar que o Pink Floyd não queria ser inserido na
    sociedade e ja usavam os recursos visuias para não prestarem a atenção
    neles.

    E acho que pra época na qual as duas bandas nasceram, ainda não existia tal preocupação na musica.

  • Cler Oliveira said:

    Olá Andréia,
    Infelizmente não conheço essa especialização e não sei se ela existe aqui no Brasil. As coisas por aqui avançam a passos pequenos porém bem significativos. Acredito que seja uma área que náo tarda a aparecer pois é uma área lúdica e privá-los de parte dessa arte – das letras, menções de ritmos, histórias e significados – seria algo insensato.

  • Andréa said:

    Bom, meu nome é Andréa. Moro no interior de São Paulo na cidade de Teodoro Sampaio. Gostei tudo do que li e vi aqui.
    Sou pedagoga com pos-graduação em educação inclusiva-educação auditiva/LIBRAS,pela faculdade educacional da lapa – PR.
    Sou apaixonada pela cultura surda e gostaria de saber, se voce conhece alguma instituição que tenha um curso de libras na musica, mesmo que seja fora do Brasil. Gostaria de me especializar com Libras e percebi que a area menos estudada é a musica para surdos.
    Como sou professora nesta cidade, não consigo achar um curso, mesmo pela internet e sei que só vou conseguir alguma coisa se conhecer alguem que esteja envolvida com a cultura surda.

    Agradeço sua atenção.
    Andréa

  • Cler Oliveira said:

    @Maisa, Infelizmente não sei onde podes encontrar o que procuras. Aconselho a entrar em contato com o Ines – INES – Instituto Nacional de Educação de Surdos – http://www.ines.org.br. Quem sabe, eles possam te ajudar. Abraços.

  • Maisa said:

    Gostei de encontrar esse site. Estou procurando um vídeo de futebol com intérprete em Língua de Sinais. Preciso apresentar um trabalho na facul. de Libras e ainda não sei muito bem. Me ajudem por favor!

  • Alessandra Riete said:

    @Cler Oliveira,

    ta nesse link aki, é coisa de 2 anos atrás

    http://www.youtube.com/watch?v=Z2yNzw00mpA

    =D

  • Cler Oliveira said:

    Não conheço… mais um video para voce me mostrar, hahaah… Alguns virais me passam batido :p

  • Alessandra Riete said:

    Eu também tive uma coleguinha surda no colégio! Ela era bem legal, e eu brincava com ela. Mas lembro que ela falava – com uma voz meio fanha.

    É realmente uma pena que campanhas como essa que tu mencionastes não consigam ganhar uma visibilidade maior, e cumprir com seu objetivo.

    Não tem nada a ver, mas quando li sobre representação das musicas com linguagem de sinais, me lembrei automaticamente do video daquele cara que faz a mímica da música Torn! hehehe!

  • Miscellaneous (15) | said:

    [...] “Diga-me o que come que te direi o que tomar” – Comunicadores Coisas que Deus odeia – Morróida Música para quem não a ouve mas a sente (Língua de Sinais) – Hit na Rede Criador do Playmobil, Hans Beck, morre aos 79 anos – ZeroOitocentos [...]

  • Cler Oliveira said:

    @Patric, eu que peço desculpas com aquele papo de ‘autopiedade’ :) Percebi que a dica foi sincera, assim como foi a minha alegria de ver que finalmente a comunidade surda vai poder ter acesso real a um show de rock. Nem grila. Eu mesma me espantei porque raramente vejo grandes notícias sobre acessibilidade para surdos. E quando vi pensei na coincidência disso tudo.

    Eu que digo sorry :)

    E, sério mesmo, a dica foi ótima. Sou uma defensora ferrenha dos direitos de comunicação de todos (faço Jornalismo e acho que Libras deveria ser uma disciplina obrigatória, já que temos tantas disciplinas inúteis) e unir o barulho rock ao silêncio dos surdos foi uma noticia que me deixou verdadeiramente com esperança de que, em breve poderemos dizer que a música, como arte, é direito de todos.

  • Patric said:

    @Cler Oliveira, não quis insinuar nada, já que apenas foi uma coincidência pessoal, pois o assunto realmente havia me despertado interesse e me deparei com seu ótimo post há algumas horas.

    Anyway, não há nada de similar com a notícia, exceto pelo assunto. No máximo alguém poderia dizer que foi inspiração, que seja de onde for, é essencial para escrever qualquer linha de um texto. No stress.

  • Cler Oliveira said:

    @Patric, QUE OTIMA NOTICIA!
    E, por mais que, agora as pessoas possam não acreditar (e teriam motivos pra isso), esse post sobre lingua de sinais x musica estava em rascunho desde o final do ano passado, mas nunca saído de lá.

    Nossa, fiquei muito contente mesmo, Patric. Não tinha visto nada a respeito ainda!

    Muito obrigada pela dica.

  • Patric said:

    Coincidentemente, me chamou a atenção a interessantíssima notícia do primeiro show de rock para surdos e este post caiu como uma luva no mesmo dia. :)

    Percebo que eu nunca havia parado para pensar em acessibilidade na música antes…

  • Cler Oliveira said:

    @Micael, God save You! Vou assistir assim que a conexão me ajudar. Muito obrigada, Micael. de verdade.

  • Micael said:

    Esse assunto me lembrou um curta que assisti há algum tempo atrás, de um cara surdo que passava o tempo numa loja de discos.

    Não lembrava o nome, mas São Google conseguiu achar, e melhor ainda, dá pra assistir ele online:

    http://www.portacurtas.com.br/pop_160.asp?cod=1546&Exib=6008

Leave a comment!

Add your comment below, or trackback from your own site. You can also subscribe to these comments via RSS.

Be nice. Keep it clean. Stay on topic. No spam.

You can use these tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

This is a Gravatar-enabled weblog. To get your own globally-recognized-avatar, please register at Gravatar.